25.9.13

Mochila de pedra

A sensação que eu tinha quando estava com você, era de quem carregava uma mochila de pedra, era cansativo, doloroso, incomodo. Quando terminamos, tive a sensação de ter esvaziado a mochila, tirado toda pedra, eu havia cansado de carregá-la, era o meu limite, se é que me entende.

Você deve estar se perguntando o porquê de eu ter aguentando tanto tempo, já que era assim. Então irei explicar. Em cada inicio de relacionamento, ganhamos uma mochila para carregarmos ao decorrer do mesmo, então cada pedra que havia dentro da minha mochila, foi adquirida uma à uma, ela representava cada raiva, cada mentira, cada grosseria; após isso, a mochila vai enchendo e enchendo, até que chega uma hora que não aguentamos mais carregar, não podemos nem dar mais um passo, é algo que torna-se insuportável, esse ciclo vicioso dói, porque todo o tempo eu procurava evitar encher a mochila com as pedras, mas não dava resultado, o esforço era só meu, tornava-se algo em vão. Então como eu já não aguentava caminhar e não havia ninguém que pudesse ajudar-me a carregá-la, que no caso deveria ser quem a encheu, eu a esvaziei, fui tirando pedra por pedra e relembrando em qual momento aquela pedra foi adquirida, e dói, você chora ao tirar a pedra, mas não vê outra alternativa. Eu não vi outra alternativa.

O que mais dói é saber que ainda sinto falta da mochila, porque no começo ela era leve, não incomodava, me ajudava, era bem útil. Em outras palavras e mais obvias, eu o amo, apesar de não gostar mais de você, de não ter arrependido-me por estar cada vez mais distante.

Apesar de tudo, eu ainda sinto a necessidade de saber como você tem passado o dia, se tem se cuidado, tomado remédios, leite quente, se tem evitado ficar na friagem, se marcou aquela consulta, se segue indo a igreja, se está tocando direitinho, se anda comendo, se está gostando do seu novo jogo, se conheceu alguém mais legal que eu, se arrumou um novo trabalho, se tirou o alargador e até mesmo se pensa em cortar o cabelo. Porém, são coisas a quais não tenho a resposta, o que é massacrante, apesar de saber que é melhor assim, melhor pra mim, melhor para você, melhor para nós, que eu aprenda a lidar com a falta, que a minha necessidade passe, porque talvez amadurecer seja isso, aprender a aceitar que amar uma pessoa, nem sempre vai ser o suficiente para mantê-la em sua vida.

Eu sigo rezando para que tenha mais em sua vida, que viva bem, que seja feliz, que encontre alguém que se encaixe com você, alguém que você veja que vale a pena mudar, é uma pena que não fui eu esse alguém, queria muito ter sido, estava disposta a ser, mas não dependia só de mim. Espero de coração que possa viver em paz, espero que a vida te traga tudo que eu não pude dar, que eu não pude ser. Te cuida, já que eu não posso mais fazer isso por você, eu estou de longe te olhando, não sei por quanto tempo, mas estou.

Essas são coisas que nunca irei dizer, olhando para você.

Flávia Faria

Nenhum comentário:

Postar um comentário